Baú do Bohemio: Textos

Uma casa em ruínas

Sobre a urgência de amar, todos os dias. Era preciso começar pelo amor, só que nenhum dos dois sabia como. Ficou esquecido entre as certezas iludidas de que já se tem o que outrora se quis. Ficou perdido entre as sombras que escurecem a verdade

A dança da sedução

Sobre o aparente bailado da sedução – eu danço. Primeiro com os olhos fixos, a seguir, com os pés soltos, depois com as mãos coladas e, por fim, com o corpo todo. Só assim vale a pena dançar. Não me leves a mal, embora seja

Um nada que tem tudo

Saudade. Essa palavra que só existe na língua portuguesa e que nos acorrenta a um sentimento apenas tangível por dentro, apenas traduzível na carne que se recolhe do hoje para tocar o ontem. Ah povo fadista, entristecido, sonhador aprisionado ao passado. Povo tão soturno e

O futuro não espera por ti

O teu destino és tu. O teu futuro está a ser criado com o que fazes do teu presente. Não és a folha, és o vento. Sopras o teu próprio caminho. Deixa-te de destinos e acasos, deixa-te de sortes e azares, deixa-te de desculpas. Tudo

Quem me olha no espelho

Andamos por aí aos tropeções, na pressa de chegar a um lugar qualquer que não seja aquele onde estamos. Andamos por aí escondidos de nós, a vestir o que não somos, porque a única coisa que nos serve é a roupa que o outro vestiu.

Gostas desta taberna? Então espalha as palavras ;)