Baú do Bohemio: Textos

Num campo cheio de amoras

Da aldeia do Nodeirinho saíram de carro uma avó e a neta, de 4 anos. Morreram cercadas pelas chamas na Nacional 236-1. A criança foi encontrada ao colo da avó. Ninguém sabe o que aconteceu enquanto lutavam pela vida, mas podemos imaginar… Olha para a

Viver é outra coisa

Queria a quantidade certa de coragem para abrir os braços sobre o incerto, uma dose incerta de bravura para esticar as pernas sobre o vazio. Queria a força de mil homens cegos, de mil homens surdos, de mil homens mudos. Queria não ver, não ouvir,

Madrugada dos nossos pecados

É madrugada, meu amor, é hora da carne, se houver alguma hora específica para a carne, a não ser todas as que cabem num dia, todas as que cabem quando as tuas pernas abrem. É madrugada, meu amor, e já sabes que a madrugada nos

As nossas horas cansadas

E as conversas que são sempre as mesmas (e são), e os sítios que são sempre os mesmos (e são), e as pessoas que são sempre as mesmas (e são), e os teus olhos que já não são os mesmos (e não são), e os

Amar não vem nos livros

Não me ensines como amar, amarei como sei, à minha maneira. Pode não ser grande coisa, pode ser uma merda. Será. Mas deixará de ser amor, só porque não se enquadra nessas normas e regras cuspidas pelos outros? Quero lá saber do que os outros

Gostas desta taberna? Então espalha as palavras ;)