Baú do Bohemio: autoconhecimento

a mais social da semana

Vive, sem vergonha e sem medo. Vive, com todos os medos, e vai em frente, vai para os lados, vai para onde quiseres ir, para onde sentires que tens de ir. Vai, principalmente, para onde sentires.

O futuro não espera por ti

O teu destino és tu. O teu futuro está a ser criado com o que fazes do teu presente. Não és a folha, és o vento. Sopras o teu próprio caminho. Deixa-te de destinos e acasos, deixa-te de sortes e azares, deixa-te de desculpas. Tudo

Quem me olha no espelho

Andamos por aí aos tropeções, na pressa de chegar a um lugar qualquer que não seja aquele onde estamos. Andamos por aí escondidos de nós, a vestir o que não somos, porque a única coisa que nos serve é a roupa que o outro vestiu.

Viver é outra coisa

Queria a quantidade certa de coragem para abrir os braços sobre o incerto, uma dose incerta de bravura para esticar as pernas sobre o vazio. Queria a força de mil homens cegos, de mil homens surdos, de mil homens mudos. Queria não ver, não ouvir,

A inevitabilidade do erro

Proponho que se armem cavaleiros todos os que reconhecem o erro. Que sejam distribuídas as mais altas condecorações aos errantes assumidos. Que se elevem vielas, ruas, avenidas, praças e pracetas em sua homenagem. São uns autênticos senhores e senhoras do reino humano. Reconhecer o erro

Gostas desta taberna? Então espalha as palavras ;)