Baú do Bohemio: acaso

O futuro não espera por ti

O teu destino és tu. O teu futuro está a ser criado com o que fazes do teu presente. Não és a folha, és o vento. Sopras o teu próprio caminho. Deixa-te de destinos e acasos, deixa-te de sortes e azares, deixa-te de desculpas. Tudo

Encontrei-te no tempo

Hoje viajou-me o tempo pelo chão que tremia. Passaram-me todos dias pela retina. Atravessou-se o mundo pela janela da mente e logo, iminente, lembrei-me de uma porta que se abria. Aconteceu-me um sorriso a vestir a perfeição e depois a escravidão do momento. Nasceu uma

Pedras na calçada

Somos metades perdidas nas entranhas da sorte. Acasos fortuitos, pedras desalinhadas na calçada, pedaços de destino. Sopros de ontem em brisas de hoje. Aguaceiros de memória, precipitações do incerto em gotas destiladas na chuva miúda das horas. Somos as esperanças inebriadas de janeiro. Todas as

Gostas desta taberna? Então espalha as palavras ;)