Baú do Bohemio: passado

Um nada que tem tudo

Saudade. Essa palavra que só existe na língua portuguesa e que nos acorrenta a um sentimento apenas tangível por dentro, apenas traduzível na carne que se recolhe do hoje para tocar o ontem. Ah povo fadista, entristecido, sonhador aprisionado ao passado. Povo tão soturno e

Carta à memória 2.0

Escrevo de dentro da liberdade do presente. Escrevo para um código postal distante, numa cela lá longe, um corredor de vultos, onde as promessas vão para morrer. Escrevo aos teus olhos criminosos, que tomaram de assalto as minhas horas. Escrevo para ti, que ficaste entre as

Carta à memória

Não me roubes o tempo que guardei para destilar as insónias do passado. Lembranças que arrumo em gavetas de madeira envelhecida, numa idade onde ser era ser-te. Onde o amor se apagou numa mancha de cinza, um erro traçado por cima, a tinta permanente. Tento

Gostas desta taberna? Então espalha as palavras ;)