Baú do Bohemio: recomeço

Carta à memória 2.0

Escrevo de dentro da liberdade do presente. Escrevo para um código postal distante, numa cela lá longe, um corredor de vultos, onde as promessas vão para morrer. Escrevo aos teus olhos criminosos, que tomaram de assalto as minhas horas. Escrevo para ti, que ficaste entre as

Haverá recomeço

Ainda que os dias te pesem, ainda que as costas te dobrem, não te esqueças que haverá mais um ontem para enterrar. Haverá mais um adormecer para despertar. Haverá mais motivos para erguer do que para ceder. Haverá um novo dia para crescer. Haverá mais amanhã para

Um sopro e a vida recomeça

Anoiteceu. Toquei na ferida, quis sangrar o que ficou para trás. Passei os dedos pela origem, vi a memória do que já não sou, para onde já não vou. Em cada pedaço de lágrima, havia um punho fechado a bater lá dentro. Esmagou-me a madrugada

Vai-te foder, deusa

Há um “foda-se” que grita de cada vez que me esqueço do quanto o amor faz sentido na vida. Há um “tudo pró caralho” sempre que mergulho na liberdade dos sentimentos. E não existe a tua inexistência para me amputar o sorriso. E não me

Gostas desta taberna? Então espalha as palavras ;)