Baú do Bohemio: sentir

Na tua mão sou livre

É o encaixe perfeito. Duas peças alinhadas na sintonia de uma mesma arritmia. Na tua mão. É na tua mão que me pertenço por inteiro. Inteiramente completo nos nós dos teus dedos que entrelaçam poemas que não sei escrever. É por impulso que pulso um

Palavras escritas nos olhos

O que me apetece dizer-te de cada vez que te vejo? Como dizer-te tudo o que vive porque vives? Como falar de tudo o que nasce de cada vez que nasces em mim? Tenho tantas palavras guardadas numa caixa desarrumada num sótão poeirento. Dentro de

Pedras na calçada

Somos metades perdidas nas entranhas da sorte. Acasos fortuitos, pedras desalinhadas na calçada, pedaços de destino. Sopros de ontem em brisas de hoje. Aguaceiros de memória, precipitações do incerto em gotas destiladas na chuva miúda das horas. Somos as esperanças inebriadas de janeiro. Todas as

Memória fotográfica

Se pudesses ver o que os meus olhos fotografam, todos os dias, saberias o prazer que é parar o tempo com as pálpebras abertas. Saberias que o presente se faz de múltiplas eternidades. Saberias que a vida vive-se pela capacidade de tocar o infinito com

Gostas desta taberna? Então espalha as palavras ;)