Baú do Bohemio: medo

Viver é outra coisa

Queria a quantidade certa de coragem para abrir os braços sobre o incerto, uma dose incerta de bravura para esticar as pernas sobre o vazio. Queria a força de mil homens cegos, de mil homens surdos, de mil homens mudos. Queria não ver, não ouvir,

O passo que tudo conquista

Faltou-me dar o passo, sabes? Aquele que entra para a história. Aquele que se funde com todos os outros. Aquele que faz esquecer os tantos que tiveste de dar antes, o que dissolve o cansaço na fonte da vitória. Aquele que é uma aglomeração de

A inevitabilidade do erro

Proponho que se armem cavaleiros todos os que reconhecem o erro. Que sejam distribuídas as mais altas condecorações aos errantes assumidos. Que se elevem vielas, ruas, avenidas, praças e pracetas em sua homenagem. São uns autênticos senhores e senhoras do reino humano. Reconhecer o erro

Duas pernas que tremem

É quando as tuas pernas tremem que sabes que vale a pena. Casei-me contigo no dia em que te vi pela primeira vez e as minhas pernas tremeram. Foi aí que soube que serias a mulher de todas as vidas que possa vir a ter.

Gostas desta taberna? Então espalha as palavras ;)