Amar-te-ei enquanto fores livre

Tenho esta tendência para cair nos teus braços. Mas não me queiras a 100 decibéis. Sou daqueles que ama longe do sufoco das multidões, atordoadas pelo estrondo do imediato. Sou devagar, sem pressa para explorar cada pedaço dos teus dias. Mas sou das minhas noites,

Pedras na calçada

Somos metades perdidas nas entranhas da sorte. Acasos fortuitos, pedras desalinhadas na calçada, pedaços de destino. Sopros de ontem em brisas de hoje. Aguaceiros de memória, precipitações do incerto em gotas destiladas na chuva miúda das horas. Somos as esperanças inebriadas de janeiro. Todas as

Vai-te foder, deusa

Há um “foda-se” que grita de cada vez que me esqueço do quanto o amor faz sentido na vida. Há um “tudo pró caralho” sempre que mergulho na liberdade dos sentimentos. E não existe a tua inexistência para me amputar o sorriso. E não me

Memória fotográfica

Se pudesses ver o que os meus olhos fotografam, todos os dias, saberias o prazer que é parar o tempo com as pálpebras abertas. Saberias que o presente se faz de múltiplas eternidades. Saberias que a vida vive-se pela capacidade de tocar o infinito com

300km de respiração

A verdade é que te quero perto, aqui ou aí, tanto faz desde que seja perto. Perto dos olhos, perto dos lábios, perto do corpo. Quero-te agora e para sempre. Quero-te com toda a sede de um moribundo num deserto de ilusão. Quero-te a matar-me

Gostas desta taberna? Então espalha as palavras ;)