Vai-te foder, deusa

Há um “foda-se” que grita de cada vez que me esqueço do quanto o amor faz sentido na vida. Há um “tudo pró caralho” sempre que mergulho na liberdade dos sentimentos. E não existe a tua inexistência para me amputar o sorriso. E não me lembro mais de te sangrar. Apago-te de mim e omito pensamentos que me causam inércia. Ah e é tão bom viver sem recordar que te amo “pra caralho”. “Pró caralho!” que assim não se deve amar ninguém e suprimo-te em mim. E vou viver. Vivo! Foi para isso que berrei ao início. Vou agora, vou por agora. Só até tropeçar de novo numa lágrima tua. E aí recomeço a sangrar. Mas sabes que mais? Hoje digo-te com toda a vontade. Vai-te foder e até já.

vaitefoderdeusa_obohemio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Gostas desta taberna? Então espalha as palavras ;)