Narcótico

Entorpece-me a madrugada para não te ver sair. Dá-me o teu narcótico mais potente, esse alucinogénio de ardor. Tira-lhe a letra repetida, substitui a terceira, chama-lhe o que quiseres, o que sentires que é, desde que seja a supressão plena destes anos sozinhos. Inflige-me a tua boca rente à minha. Faz-me estar onde os teus olhos moram, onde a tua respiração me sustem e nós acontecemos. Depois, repousa os teus sonhos nos meus e faz-nos eternos, a pulsar abaixo da pele. Para vícios assim, uma noite não basta. Para ardores assim, uma vida não chega.

narcotico_obohemio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Gostas desta taberna? Então espalha as palavras ;)