Baú do Bohemio: palavras

Tudo isto que és tu

Sinto-te, não defino. Sei que és isto que não se resume, que não se confina na clausura de uma expressão usada tantas vezes, errada vezes demais. Penso-te e sei que há isto que eu não sei o que é, de onde nasceu. Uma flor a

Nas algemas da vergonha

Hoje, tal como ontem, quis dizer-te que roubava o mundo, e mais um planeta ou outro, só para ter a possibilidade da tua pele. Mas as palavras não saíram do sítio onde se foram esconder, onde tu te foste esconder. Tive aquele receio estúpido que me

Palavras escritas nos olhos

O que me apetece dizer-te de cada vez que te vejo? Como dizer-te tudo o que vive porque vives? Como falar de tudo o que nasce de cada vez que nasces em mim? Tenho tantas palavras guardadas numa caixa desarrumada num sótão poeirento. Dentro de

Amar-te-ei enquanto fores livre

Tenho esta tendência para cair nos teus braços. Mas não me queiras a 100 decibéis. Sou daqueles que ama longe do sufoco das multidões, atordoadas pelo estrondo do imediato. Sou devagar, sem pressa para explorar cada pedaço dos teus dias. Mas sou das minhas noites,

Gostas desta taberna? Então espalha as palavras ;)